Lista de postagem

Como cuidar dos animais de estimação durante o frio?

Os animais não estão livres das doenças causadas pelas baixas temperaturas da estação. Patas, narizes e orelhas precisam de atenção especial durante os meses de inverno. Pet molhado e tremendo de frio é doença certa! Pet saudável e bem alimentado consegue regular melhor sua temperatura interna. Mas não subestime a saúde de seu animal. Seguem algumas dicas para que seu pet tenha um inverno bem aquecido.

Blog_corpo

Para os animais que ficam fora de casa 

A casinha do cachorro deve estar disposta de forma que não receba rajadas de vento, o cão deve ficar protegido da chuva e do frio. É interessante verificar a posição do sol para que a casa receba a maior quantidade possível de raios solares durante o dia.

Verifique se existe alguma goteira que comprometa o conforto térmico do local. Se você tem o costume de oferecer cobertas, trocá-las semanalmente auxilia a manter a saúde da pele e pelos do animal. Nunca deixe seu cão em cobertores molhados.

Alimentação

É interessante aumentar um pouco o aporte energético do cão que dorme fora de casa. Alguma coisa em torno de 15% favorece a produção de uma camada de gordura, ganhando assim um aliado à manutenção do calor do corpo. Em caso de doença, estar com um pouco de reserva também auxilia na recuperação. Cães enfermos podem ficar alguns dias sem querer se alimentar. Antes de aumentar a quantidade de ração, pergunte ao veterinário sobre o estado corporal de seu cão.

Roupas

Existem cães que aceitam bem as roupas, mas jamais deixe-as molhadas sobre o corpo dele. Se você tem um gato que tem livre acesso à rua, tenha em casa um local aquecido e pronto para recebê-lo. Se possível, permita a ele passeios mais curtos nessa época do ano e isso vale também para os cães. Algumas pessoas acostumaram seus pets a caminhar com sapatilhas especiais que protegem as patas da umidade e do frio. Mas se seu cão não se adaptou, deixar os pelos entre os dedos das patas mais curtos facilita a secagem quando o animal voltar para casa.

Para os animais que ficam dentro de casa 

As mudanças bruscas de temperatura são inimigas dos animais que ficam no ambiente interno. Na hora de sair, além de vestuário adequado (se o cão aceitar), sugerimos perder alguns minutos na cozinha antes de ir à rua. Desta forma o cão se adapta à diferença de temperatura de forma lenta e progressiva. Alguns também sofrem com o ar condicionado por ressecar as vias respiratórias. Não há necessidade de reforço alimentar, pelo contrário, por se exercitar menos nessa época do ano, os pets tendem a engordar.

Cuidado especial para quem costuma dar banhos no seu pet em casa. Nunca deixe o animal se secar sozinho, mesmo em ambiente seco. Nosso inverno é úmido e cães e gatos peludos podem desenvolver fungos nos pelos. Para aqueles sem cobertura pilosa, como os pinschers, uma roupinha vai muito bem, mas deve-se respeitar momentos sem roupas para a ventilação da pele.

Os animais que sofrem de reumatismo, mais comum em idosos, terão suas dores aumentadas com o inverno. O ideal é deixá-lo em um ambiente quente e longe das correntes de ar, como porta e janelas. Se é um animal de livre trânsito em lugares abertos, melhor seria confiná-lo durante os períodos mais frios.

E para quem leva seus mascotes para regiões de frio extremo, é bom lembrar que nossos cães não estão acostumados com neve. Produtos específicos para a proteção das extremidades dos cães costumam ser vendidos em pet shops locais.

Doenças Respiratórias

Elas são as vilãs do inverno. Animais envelhecidos, convalescentes ou que atravessam um período de baixa imunidade podem ter seus efeitos agravados, prejudicando ainda mais sua saúde. Para alguns agentes patológicos, o uso preventivo da vacina continua sendo uma boa opção. Mas, lembre-se, consulte sempre um veterinário.

 

 

Fonte: http://revistadonna.clicrbs.com.br/

Recuperar Senha

Informe um e-mail para receber instruções de como criar uma nova senha.